Anna Traiano

Outono

Assim,
Só comigo estou,
Vida que foi,
Perto de mim está o sol...

Sinto agora,
Paz no amanhecer,
Ponto de luz,
Clareia a escuridão que quer me vencer...
Mas a noite,
Não me assusta como então...
E a lua toca a palma da minha mão...

Não vou deixar passar o sol,
Sentir a brisa, a chuva e o mar...
Vento que atiça o sonho,
Sonho que vira onda,
Estou na vida pra viver...

Vida que insiste em ser feliz,
E é só o que precisa ser...
Não troco paz por pouco,
Não deixo mais meu canto
Silenciar por outro...

No infinito,
Está o azul que enfeita
O meu sorrir.
Vou buscar,
Eu preciso ir...

Visitantes

Website counter