Anna Traiano

Carta à minha saudade

Hoje senti tua falta.
Saudade é fogo que queima
Devagar,
Tormento suave que dói,
Mas não mata,
Angústia do nunca mais
Ou quem sabe,
Um copo de vinho
Que tomo sem pressa,

E vicia a alma
E alimenta a vida.

Saudade, veneno manso
Que corrói,
Passado que foi e não sei
Se será,
Dorzinha no fundo da alma,
Que alegra,
Lembrança feliz
Que não perco de mim
Que me ajuda a sonhar.

Por isso me apresso
A olhar teu retrato,
Pra que não me fuja da mente,
E do olfato
Tua imagem, teu cheiro e
Aquela lembrança
Que me dá tanta saudade,
De um tempo feliz,

Que foi,
De fato.

Visitantes

Website counter